minorgan_site_testeira_blog

Blog

Seedling vegetable beds with drip irrigation system

25 outQuais os verdadeiros benefícios da irrigação por gotejamento?


A água potável foi um recurso natural abundante até o final do século passado, mas hoje sofre grande escassez, por causa do clima quente, da população mundial crescente e a decorrência poluição deste bem. Com esse cenário, formas de economizar água se tornam não só vantajosas, mas necessárias.

Já é sabido que a agricultura é um setor imprescindível para o abastecimento mundial de alimentos e a irrigação é o insumo que mais desperdiça outro recurso essencial à vida: a água. A (ONU) Organização das Nações Unidas indica que por volta de 70% de toda a água disponível no mundo é direcionada para a irrigação. No ano de 1940, cultivadores ingleses perceberam que o processo de cultivo da época consumia uma quantidade exagerada de água e que esse excesso não resultava em boas colheitas. E assim surgiu a irrigação por gotejamento. Mas somente vinte anos depois o sistema tornou-se viável, por causa da criação do polietileno.

De início os produtores hesitaram em considerar a eficácia do processo. Entretanto, depois de anos de pesquisas, as inúmeras vantagens do sistema de gotejamento foram comprovadas, tornando-o a principal forma de irrigação em várias plantações ao redor do mundo.

Essa ideia nasceu no deserto de Israel

Tanto se fala que esta tecnologia nasceu em Israel e aplicada no Deserto de Negev, no qual foi berço para diversas empresas na realização de experimentações e técnicas de irrigação. O índice médio de chuva em Israel é em torno de 600 mm/ano, enquanto que em solo brasileiro a média é de 800 mm/ano. O grande desafio dessas empresas, era o cultivo de alimentos em um dos locais mais secos do mundo. Sendo assim, os israelenses desenvolveram tecnologia própria, e que futuramente tornou-se produto de exportação. Após a descoberta, do efeito de gotejamento lento e balanceado resultava em um crescimento extraordinário das plantas, Simcha Blass, engenheiro hídrico veterano israelita, levou décadas tentando transformar sua descoberta em realidade.

Listamos nesse artigo alguns dos diversos benefícios comprovados dessa forma de irrigação.  Acompanhe!

 

A irrigação por gotejamento economiza água

A irrigação por gotejamento gasta muito menos água do que os outros sistemas existentes, e é cerca de 90% mais eficiente. O sistema funciona da seguinte forma: a água escorre de forma lenta, através de canos e mangueiras com gotejadores que se estendem em linhas próximas às raízes A plantação é irrigada moderadamente, fornecendo a quantidade precisa de umidade para o bom desenvolvimento das plantas.

Une irrigação e fertilização

Esse método aumenta a produção e o rendimento das plantas, assim é possível manter o controle da quantidade exata de água e fertilizantes que a plantação necessita. O processo se torna mais prático e barato – você evitará o desperdício e economizará 50% com adubos – e essas duas etapas podem ser feitas em conjunto, sobrando tempo para exercer outras atividades na lavoura.

Evita a dispersão de nutrientes

Precisão: a irrigação por gotejamento permite que a planta receba a quantidade exata de água para o seu eficaz desenvolvimento.

Os processos de irrigação tradicionais como aspersão e inundação, além de aplicarem água em excesso, muitas vezes não irrigam as raízes das plantas que ficam em linhas dispersas. Causando a lixiviação dos fertilizantes e dos produtos aplicados no solo necessários para o bom desenvolvimento das plantações.

A irrigação por gotejamento também evita a infiltração de adubos, pesticidas e herbicidas no lençol freático, sendo assim a opção mais sustentável.

Reduz a incidência de doenças

A irrigação por gotejamento é aplicada de forma radicular, junto às raízes, diminuindo assim o surgimento de doenças folheares e no caule, causadas por fungos que se reproduzem com a umidade não monitorada em toda a planta.

É ideal para solos com baixa infiltração

O sistema de gotejamento funciona muito bem em solos com baixa infiltração, pois a água pode ser despejada de forma amenizada para que dê tempo ao solo de absorvê-la, reduzindo ou eliminando o escorrimento superficial.

Com os benefícios listados acima acreditamos que você deve está interessado em implantar a irrigação por gotejamento, certo? Esse é um processo totalmente sustentável, econômico e eficaz, que funciona muito bem na maioria dos cultivos, como: hortaliças, frutas, cereais, flores, vinhedos, entre outros. Produzir mais com menos recursos é um dos principais fatores de sobrevivência no mercado competitivo.

Quer mais dicas sobre irrigação? Confira o nosso artigo sobre a importância da água na agricultura!

Read More
post-crise

14 outDescubra como a biotecnologia pode ajudar no combate à crise hídrica


A biotecnologia como aliada do controle à falta de água

A crise hídrica já se encontra em uma situação bem alarmante. Todos os setores da sociedade buscam novas formas de lidar com os recursos hídricos de forma a garantir o fornecimento de água para toda população.

Empresas e organizações que participam do campo de estudo e desenvolvem soluções biotecnológicas possuem várias soluções voltadas para o uso mais eficiente dos recursos hídricos, reduzindo os gastos e diminuindo a poluição através do tratamento dos resíduos presentes na água utilizada. Seja para a casa, a agricultura, a indústria ou o setor público, já são muitas as soluções para serem empregadas no combate à crise hídrica pela qual estamos passando. Confira algumas delas:

Agricultura

A agricultura é um dos grandes vilões no consumo de água, sendo a responsável por 70% do consumo em todo o planeta. A biotecnologia tem realizado diversas pesquisas e desenvolvido alternativas para tornar mais sustentável a nossa produção de alimentos. À medida que novas descobertas são feitas e aplicadas, agricultores passam a produzir alimentos mais resistentes às mudanças climáticas, empregando processos de produção menos biodegradantes, mas mantendo e elevando cada vez mais o nível de produção.

Estudos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) têm identificado genes em plantas que absorvem metais pesados em uma quantidade muito mais elevada, e que poderiam ser utilizados na recuperação de águas e solos contaminados.

Alimentação

Ainda na agricultura, mais especificamente na nossa alimentação, estudos como o da Empresa Brasileira de Pesquisa e Agropecuária (Embrapa), estão desenvolvendo espécies de soja transgênica mais tolerantes a secas e temperaturas extremas. Alimentos que possam ser cultivados em condições climáticas menos propícias à vida são uma alternativa para reduzir os gastos com água e tornar possível o cultivo mesmo em regiões do país onde o recurso já se encontra escasso.

A biotecnologia no saneamento

O a falta de saneamento básico e destino adequado para os resíduos domésticos, também possui uma grande contribuição na poluição ambiental. Em meio ao aumento populacional que cresce sem uma estrutura básica de saneamento, as soluções de biotecnologia para o tratamento de efluentes, se mostram muito eficientes.

Através do tratamento de resíduos que a biotecnologia possibilita, ajudando na degradação de materiais orgânicos e outros, como gordura ou óleo, é possível garantir um retorno maior de água tratada para os efluentes. O tratamento adequado da água utilizada também pode reduzir consideravelmente o consumo e aumentar a preservação dos mananciais, já que possibilita que boa parte dela seja reutilizada no próprio ambiente, sem ser descartada.

Para tratar a água que será novamente descartada nos aquíferos, têm sido utilizados microrganismos capazes de eliminar as impurezas das águas. Esses microrganismos são selecionados e multiplicados por meio de conhecimentos e recursos da biotecnologia. Esta solução já é utilizada por diversas empresas e organizações por todo o Brasil.

A escassez e a poluição das águas ao redor do globo já se encontram em um estágio tão avançado que a preservação tem se tornado um dos temas principais nos encontros por todo o mundo, entre líderes do setor público e privado.

A biotecnologia e também outras áreas de conhecimento, que se baseiam na vida e no processo biológico por trás dela, podem trazer grandes transformações em todos os setores que conhecemos e que já têm dificuldades para suprir as necessidades de uma população que não para de crescer. O investimento em pesquisas biotecnológicas que buscam formas mais eficazes para gerir e reduzir o consumo de água pode ser o passo mais importante na contenção da crise hídrica.

E você, está por dentro de alguma pesquisa, produto ou serviço que seja fruto dos avanços da biotecnologia para combater à crise hídrica? Compartilhe o seu conhecimento ou mesmo suas dúvidas através do espaço de comentários!

Read More
nature background

14 outA importância da água na agricultura


A água sempre esteve presente em atividades da agricultura e pecuária, permitindo ao homem se estabelecer em comunidades fixas para produzir o próprio alimento. O recurso foi e é tão primordial que as primeiras civilizações se desenvolveram próximas de bordas de rios e córregos. Hoje, a agricultura é o setor que mais utiliza água no mundo — em torno de 70%, e esse percentual pode chegar a 80% nos países mais desenvolvidos.

Além do consumo puro para a sobrevivência de todos os seres vivos, a água é utilizada na produção de culturas para consumo humano e também na produção de pasto e matéria-prima para ração de animais. Dessa forma, o líquido é diretamente responsável pela vida na Terra: hidrata e garante a produção de alimentos de origem vegetal e animal. Com tanta água necessária, podemos ter uma noção do impacto que a falta ou a má qualidade desse recurso causaria na agricultura e na saúde humana.

O benefício das práticas sustentáveis no uso da água

Em algumas regiões, a falta de água força os produtores a desenvolverem tecnologias cada vez mais avançadas para captação, uso e reserva de água. A falta do líquido é capaz de destruir lavouras e até ecossistemas inteiros, além de dificultar a vida de muita gente — fato que já ocorre em muitos povoados e cidades. Com o aumento da população e o conforto exigido pela sociedade moderna, estamos sujeitos a enfrentar uma crise hídrica no planeta. Por isso, cada vez mais, a água deve ser usada de maneira racional e sem desperdício, em todos os setores.

Para enfrentar o problema da alta demanda, torna-se necessária a adoção de práticas mais sustentáveis de uso da água. Na agricultura familiar, os produtores podem se beneficiar com sistemas de cisternas para captação da água da chuva e seu reaproveitamento nas plantações. Na agricultura convencional, os sistemas de irrigação que otimizam a distribuição da água sem desperdício são promessa de consumo mais consciente e responsável. Perto das nascentes e áreas abertas, o plantio de árvores, arbustos e forrações oferece maior cobertura vegetal ao solo, evitando a erosão e mantendo a terra úmida por mais tempo.

O valor da preservação dos córregos e nascentes

Todos os setores do mercado e a população devem banir as práticas que poluem os rios, suas nascentes e fontes. Afinal, o recurso é a base que dá o sustento da vida de todos os seres vivos. Nas grandes cidades, os córregos costumam ser tratados como depósito e transporte de lixo e esgoto, ao passo que muitas indústrias desembocam resíduos tóxicos e poluentes na água de maneira irregular e frequente.

Na agricultura, o desmatamento para aumentar a produção contribui com a perda da cobertura e fertilidade do solo, além de causar erosão na beira dos rios. Além disso, os agrotóxicos utilizados em excesso e sem controle nas culturas contaminam a água superficial e a subterrânea, tornando-as perigosas para o consumo humano. Atualmente, já existem empresas que oferecem soluções em biotecnologia para reduzir a utilização de insumos químicos e aumentar a produtividade de forma mais saudável e segura. Conheça mais sobre essa inovadora linha de biofertilizantes.

Read More

CONTATO

Nome

Telefone

E-mail

Mensagem

WordPress Lightbox